Jornal da Manhã

Em conversa com aliados do seu círculo pessoal, no Palácio da Alvorada, na tarde de domingo (10), o presidente Michel Temer confirmou que não irá disputar as eleições de outubro, informou o site O Globo. Reunido com o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles e com dois de seus auxiliares mais próximos, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, o presidente deixou claro que pretende sair de cena como candidato e deu sinais de que irá atuar nos bastidores pela candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles.

Desde que anunciou o desejo de disputar a reeleição, Temer experimentou o avanço do noticiário policial – ele responde a dois inquéritos no STF – sobre seu grupo político e familiar. Os altos índices de impopularidade de Michel Temer passaram a preocupa os peemedebistas. Diante desse cenário o nome do ex-ministro da fazenda Henrique Meirelles passou a ser visto como solução pelo presidente. Dentro do MDB a resistência ao nome de Henrique Meirelles também seria bem menor em ralação ao de Michel Temer. Primeiro ponto analisado pelos emedebistas é de que Meirelles não  a impopularidade do presidente, que poderia tirar votos em palanques estaduais. Segundo porque o ex- ministro teria um legado positivo na economia para defender.

“Para o nosso grupo no estado, a questão do Meirelles é muito simples. Onde ele não atrapalha (na busca de votos), ele ajuda. Onde não ajuda, no caso das pesquisas, ele também não atrapalha” afirmou um emedebista à Gazeta Online.