Mundo

O escritor americano Tom Wolfe, um dos maiores e mais inovadores nomes do jornalismo do século 20, morreu nesta segunda-feira (14) aos 88 anos. Autor do livro-reportagem “Os eleitos” e do romance “A fogueira das vaidades”, ele estava internado em um hospital de Manhattan, em Nova York, para se tratar de uma infecção, segundo sua agente, Lynn Nesbit. Wolfe foi um dos autores mais influentes do New Journalism (também chamado de Jornalismo Literário ou Novo Jornalismo), movimento que revolucionou a escrita de não ficção a partir da década de 1960 e que teve como expoentes Gay Talese, Truman Copote (1924-1984) e Norman Mailer (1923-2007).Em suas longas reportagens autorais, esses escritores passaram a tratar o jornalismo como uma forma de arte ao aproximá-lo da literatura. Usavam técnicas e recursos de narrativa e de edição até então associados a romances, contos e ensaios(Estado de minas).