Brasil

AS PESQUISAS ELEITORAIS SÃO CONFIÁVEIS? O CASO DA ELEIÇÃO PARA PREFEITO DE SALVADOR (2016) | Existe, nos bastidores das eleições um “jogo” desumano de manipulação de informações. As pesquisas, eleitorais, é um “destes terrenos” onde a briga é desumana. A manipulação parece ser permanente. Usar pesquisas para enganar as pessoas é a mais sórdida tentativa de fraudar a eleição. Manipular pesquisa é um crime sem punição.

No caso da eleição para prefeito de Salvador, (BA) 2016 Na disputa ACM Neto (DEM) X Pelegrine (PT) o erro ficou tão escandaloso que foi uma  vergonha para o instituto de pesquisa IBOPE. No caso de Salvador (BA) a diferença chegou a 14%. Um ponto para cima da margem de erros para um e um ponto para baixo da margem de erro para outro. Uma vergonha. (Fonte.: Veja – Reinaldo de Azevedo). Numa eleição para prefeito de uma capital, uma diferença de 14 pontos não é uma margem de erro é um erro crasso. O erro foi tão escandaloso que virou piada nas Redes Sociais.

Me parece que o mesmo está acontecendo com a pesquisa IBOPE para Presidente da República em 2018.  A diferença entre a Pesquisa XP | Ipesp e o IBOPE é de 300% sempre no caso de Henrique Meirelles. ( Fonte.: G1 | Infomoney ). A tentativa de induzir o eleitor me parece tentativa de estelionato eleitoral.