Mundo

Deputados e membros do Partido Primeiro Justiça, ao qual pertencia Albán, insistiram em que a morte, registrada na segunda-feira nos temidos calabouços do Serviço de Inteligência (Sebin) na capital, não foi um suicídio, mas um homicídio.

O governo venezuelano enfrentou nesta terça-feira (9) cobranças da comunidade internacional para esclarecer a morte de um vereador da oposição que, segundo as autoridades, cometeu suicídio na prisão, embora seus companheiros aleguem que foi assassinado.