Política

Após a deflagração da Operação Ross na terça-feira, a Polícia Federal conseguiu obter novos indícios do repasse de dinheiro vivo em Minas Gerais destinado ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), principal alvo da ação sob suspeita de ter captado ilicitamente R$ 128 milhões do grupo J&F, detentor da JBS.

Em despedida do Senado nesta quarta-feira,Aécio voltou a dizer que não recebeu propina.