Política

Um tribunal de Tóquio rejeitou nesta segunda-feira o pedido do ex-presidente da Renault Carlos Ghosn, em prisão domiciliar na capital japonesa, de comparecer ao conselho de administração da montadora Nissan, informou a imprensa nipônica.O executivo franco-libanês-brasileiro foi destituído da presidência da Nissan poucos dias depois de sua detenção em Tóquio, acusado de fraude, em 19 de novembro de 2018 (AFP).