Brasil

“Não existe nada de errado com homens possuírem riquezas. O errado é a riqueza possuir homens.” Billy Graham – Infelizmente hoje, em qualquer discussão, seja na reforma da previdência ou tributária, os economistas raramente abordam a qualidade moral da riqueza. A riqueza hoje é Geni dos problemas do país. Nunca me esqueço quando levando meus filhos em um brinquedo de um grande parque temático nos EUA, tocava a musica “Eat the Rich” (Coma o rico) da banda Aerosmith.

Tudo isto cristaliza no imaginário popular a imoralidade da riqueza. O que precisamos analisar é como esta riqueza foi obtida. Se honesta, o absurdo não é a riqueza de hoje, mas a riqueza dos reis e ditadores do passado. Esta sim foi obtida através da exploração. A de hoje, com raras exceções, foi obtida com ousadia e inovação para criar riquezas!
Mas há algo que não se leva em conta nesse assunto: é a democratização do luxo.

o luxo de ontem proporcionou que eu e você vivamos na sociedade mais rica da história da humanidade. Vivemos mais tempo, em casas melhores, com mais conforto, com menos filhos mortos e mais pais vivos do que os nossos avós. O gráfico acima deixa claro que ao longo do tempo os ganhos de produtividade permitiram o acesso da população mais pobre a diversos itens de valor, como um micro-ondas.

 

 

Um rico não acumula um utensilio domestico para si mesmo, mas permite que esta riqueza vá se espalhando para toda a sociedade. Passear hoje em um Toyota é muito mais confortável, confiável e seguro do que em um Rolls Royce em 1970. Portanto, temos que tomar cuidado para não cair na falácia permitindo que a inveja negue ao homem comum o acesso a uma vida com abundancia maior de bens. É a riqueza de hoje de alguns que permitirá a popularização desta melhora de vida aos mais pobres. | Colaboração : Antônio Cabrera  Mano Filho – Empresário, Político, Cristão.