Mundo

O grupo químico alemão Bayer, proprietário da Monsanto desde 2018, apresentou desculpas neste domingo porque sua subsidiária investigou ilegalmente políticos, jornalistas e cientistas franceses a respeito de suas posições em relação a organismos geneticamente modificados (OGMs).Não constam nesses arquivos apenas os posicionamentos das centenas de pessoas investigadas sobre pesticidas, a Monsanto e OGMs, mas também relatos sobre seus hobbies, sua capacidade de serem influenciados, endereços pessoais e telefones, de acordo com uma investigação da imprensa (AFP).