Polícia

Ele já fazia parte da família, era como se fosse um irmão de consideração mesmo.” A frase de uma jovem de 21 anos parece descrever uma pessoa querida, mas esconde, na verdade, um subterfúgio muito usado por criminosos que praticam violência sexual. Segundo a Polícia Civil, eles se aproveitam da confiança da vítima para consumar crimes como estupro ou estupro de vulnerável. Esse último registra crescimento tanto em Minas, onde avançou 25%, quanto na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e também na capital mineira quando analisado o período dos três últimos anos fechados, de 2016 a 2018 (veja quadro). Mesmo que a média mensal diminua quando analisados os dados dos três primeiros meses de 2019, esse tipo de comportamento ainda representa um desafio para as autoridades (Estado de minas).