Nossa Gente

Às vésperas de a maior operação de resgate da história do país completar quatro meses, a atuação das bombeiras em Brumadinho se destaca e chama a atenção para uma contradição entre o trabalho de campo e as regras de contratação de efetivo: enquanto elas desempenham na linha de frente o mesmo serviço, em condições idênticas às dos colegas, para entrar no Corpo de Bombeiros as candidatas só dispõem de 10% das vagas.

Isso não impede que a atuação feminina se destaque em meio aos escombros e ao barro resultante do rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, da Vale, que ocorreu em 25 de janeiro. Prova disso é que oficiais femininas, como a capitã Thaise Rodrigues Rocha, têm a atribuição por vezes de liderar toda a equipe de bombeiros empenhados nas buscas por vítimas (Estado de Minas).