Esporte

Rodrigo da Silva, de 38 anos, levantou cedo nesta segunda-feira para ver Lionel Messi. Com um desenho do melhor do mundo ao lado da família em mãos, o porteiro chegou ao hotel que hospeda a Seleção Argentina em Belo Horizonte às 7h da manhã com o objetivo de entregar a obra ao jogador. Assim como todos os outros fãs que se aglomeraram no local, ele não conseguiu chegar perto do ídolo.

Em momento de instabilidade – agravado após a derrota por 2 a o para a Colômbia na estreia na Copa América -, a Seleção Argentina se blinda e limita o acesso de torcedores e jornalistas às atividades da equipe. Nesta Copa América, não havia se visto um policiamento tão numeroso para a segurança de uma delegação como na saída dos jogadores rumo ao treinamento

(Fonte: UAI ).