Política

Ex-integrante da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, o procurador aposentado Carlos Fernando dos Santos Lima disse acreditar que o vazamento de conversas atribuídas ao então juiz Sergio Moro (hoje ministro da Justiça) e a procuradores da República seja parte de “uma campanha orquestrada” com “objetivo claro” de libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava-Jato. Lima atuou na força-tarefa de 2014, quando foi deflagrada a primeira fase da operação, até 2018.

Eu saí da Lava-Jato em setembro de 2018 e deletei todos os grupos de trabalho no Telegram e desinstalei o aplicativo naquele momento. Aparentemente, não fui atacado

(Fonte: Estado de Minas ).