Economia

Para os juros caírem na ponta, aos consumidores, é preciso que haja uma microrreforma no mercado de crédito, a começar pelos financiamentos que mais assombram pelas taxas que cobram: os produtos emergenciais.

Segundo o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito são regressivos e punem, sobretudo, os mais pobres. São eles que arcam com encargos que passam de 300% ano. Não por acaso, esses consumidores também lideram a inadimplência, um dos principais entraves para a queda dos custos de empréstimos e financiamentos.

( Fonte:Correio Braziliense )