Nossa Gente

Por mais que as reformas tenham andado, a verdade é que o maior desafio do novo governo está longe de ser superado: reduzir drasticamente o desemprego. Os dados do Caged divulgados na semana passada informam que o país criou 461 mil vagas entre janeiro e julho, número modesto diante dos 12,8 milhões de pessoas que estão sem trabalhar.

É consenso entre economistas, empresários e representantes do governo que a retomada deverá ganhar algum fôlego a partir do último trimestre do ano, mas que virá com força maior apenas em 2020. O problema é que os desempregados têm pressa. Se os níveis de emprego demorarem para melhorar, aconfiança no governo irá diminuir.

( Fonte:Estado de Minas )