Nossa Gente

A universitária Thayane Tavares Monteiro, de 22 anos, relata que luta na Justiça há 4 anos para receber tratamento providenciado pela Prefeitura do Rio após ficar paraplégica ao ser atacada no Massacre de Realengo em 2011. No episódio, Wellington Menezes de Oliveira entrou armado na escola municipal Tasso da Silveira e matou 12 crianças.

Em entrevista ao G1, a estudante contou que os médicos afirmaram em 2011 que ela nunca mais voltaria a andar depois de ter levado quatro tiros

( Fonte: G1 )