Curtas e Rápidas

Laerte Breno, Daniele Figueiredo e Letícia Maia começaram a ajudar vestibulandos meses antes, como monitores, em uma biblioteca da comunidade. Da laje para a UFRJCristian Gomes, de 21 anos, que cedeu a laje, foi um dos aprovados pelo UniFavela. “Por mais que a gente estivesse em uma laje, em um ambiente não muito confortável, muito quente, muito frio, o pior era o tiroteio. Era muito perigoso estar em uma laje na favela, né?”, relembra o estudante Cristian Gomes. É gratificante estar naquele universo acadêmico que é de direito deles nesse lugar que é socialmente distante.