Jornal da Cidade

Foi-se o tempo em que consertos e reparos dentro de casa era um bicho de sete cabeças para as mulheres. Hoje elas não só consertam como também empreendem na área de marcenaria, hidráulica, jardinagem e elétrica.

Ela fez divulgação em redes sociais e começou o negócio sem capital. “Não precisei tirar nada do bolso nas primeiras turmas. Abrimos inscrições com pagamento antecipado, e com esse dinheiro comprei material e ai fomos reinvestindo. Em torno de R$ 4,5 mil.”

( Fonte: O Globo )