Economia

Sem a aprovação dos projetos de lei que permitirão a Minas Gerais aderir ao plano de recuperação fiscal proposto pela União, o governo Romeu Zema (Novo) chegará ao final de quatro anos com uma dívida acumulada de apriximadamente R$ 230 bilhões. O alerta foi feito na manhã desta sexta-feira pelo secretário de Governo Bilac Pinto, durante reunião na Assembleia Legislativa.

Ao pedir aos deputados estaduais que votem sem “paixao” e com “responsabilidade” e “consciência” os projetos que já foram remetidos à Casa, Bilac Pinto mostrou uma planilha de dados que mostra a crise financeira vivida em Minas Gerais – que desde dezembro de 2015 tem um decreto de calamidade financeira. O número foi encontrado somando-se a dívida de R$116 bilhões com a União, o déficit projetado anualmente de R$ 15 bilhões (totalizando R$ 60 bilhões em quatro anos), um déficit de outros R$ 15 bilhões encontrados no caixa em janeiro de 2019, uma dívida consolidada de R$ 31 bilhões e R$ 9 bilhões que já deixou pagar à União graças a liminares concedidas pelo Supremo Tribunal Federal ( STF) suspendendo o pagamento de dívidas.

(Fonte: Uai)