Jornal da Manhã

Depois de viver uma das semanas mais tumultuadas do ano, com direito a socos e empurrões nas galerias e no plenário, muito bate-boca e até boletim de ocorrência policial, os vereadores retomam nesta segunda-feira a discussão do projeto de lei que institui a chamada escola sem partido em Belo Horizonte.

Apesar do esforço feito principalmente pela esquerda para obstruir os trabalhos, a tendência é que o texto seja apreciado em primeiro turno, já que os instrumentos para impedir a votação estão se esgotando. Com a última reunião ordinária do mês marcada para hoje, não está descartada a convocação de extraordinárias.

(Fonte: Uai)