Mundo

“Não haverá mais nela criança para viver poucos dias…”  Livro do Profeta Isaías 65 | 20

O período neonatal (o primeiro mês de vida) é um período crítico para a sobrevivência da criança. Cerca de 40% das mortes de menores de 15 anos ocorrem no primeiro mês de vida.  Levando isto em conta, o Chade foi eleito o pior lugar do mundo para se nascer em 2017. Isto significa que o risco ao longo da vida de morte materna é de 1 óbito para cada 15 nascimentos. Para se ter uma ideia da tragédia, por exemplo, na Itália o risco é de 1 morte em 51.300 nascimentos. Mas se o Chade é um lugar perigoso para dar à luz, nada se compara com a alegria do encontro com crianças que conseguiram ultrapassar esta fase crítica da vida.

O recurso mais limitado do mundo não é petróleo, ferro ou carvão, mas o potencial da mente humana. Habilidades e circunstâncias são importantes. O que é trágico é quando as crianças têm a capacidade, mas foram negadas as circunstâncias que as teriam ajudado a realizar seu potencial.  Quais seriam as chances de Bill Gates se ele nascesse no Chade? Certamente nós estamos perdendo muitas das pessoas mais talentosas do mundo por desastres como este do período neonatal do Chade. O Chade, pela decisão no passado pelo marxismo, faz parte de uma longa lista de matadouros africanos, como a Somália e o Sudão.

Pessoas morrem, refugiados fogem, crianças passam fome, sociedades se desintegram. Melhorar as condições de vida de uma criança no Chade é nosso dever moral, mas, além disso, é também o caminho para aumentar a oferta da criatividade e inovação necessárias. Hoje no mundo faltam tratamentos para muitas doenças; precisamos de uma agricultura ainda mais eficiente para alimentar tantos famintos e tantas outras necessidades.

Perante estes desafios, não podemos nos dar ao luxo de abrirmos mão de cada individuo e os talentos que ele carrega. Quando alguém, aqui no Chade ou nos EUA, tem uma nova ideia para resolver estes problemas, todos estarão se beneficiando. Uma das formas de Deus atender ao choro das crianças é abrindo os olhos dos adultos. Que possamos olhar com mais atenção para as crianças da África. Afinal, é aqui que está o maior número de nascimentos do planeta.

Antonio Cabrera é Ex-Ministro da Agricultura, Empresário e Cristão