Saúde em Foco

A doença é silenciosa, altamente contagiosa e pode trazer danos graves à saúde. Transmitida durante uma relação sexual sem preservativos, até mesmo no sexo oral e nas preliminares, a sífilis vem se alastrando rapidamente por Minas Gerais e na capital mineira, afetando até bebês, que já nascem com a doença, transmitida pela placenta.

De janeiro a agosto, foram registrados 8.235 casos de sífilis adquirida (confira quadro) no estado, o que equivale a uma média de 1.029,37 por mês, nada menos que 34,31 por dia.

Em Belo Horizonte, somente nos primeiros sete meses do ano, último dado disponível, foram 1.185 registros da enfermidade, média de 5,5 por dia. Embora a melhora no diagnóstico, com disponibilidade de testes rápidos, tenha influência nos números, a escalada da doença, que alcança níveis epidêmicos, está ligada à falta de proteção durante as relações sexuais, apontam especialistas. Vale destacar que exames para detectar a enfermidade são oferecidos, gratuitamente, em todas as unidades básicas de saúde.

(Fonte: UAI)