Economia

A única alternativa para tirar as contas do vermelho é a adesão de Minas Gerais ao plano de recuperação fiscal proposto pela União. A análise é do secretário da Fazenda, Gustavo Barbosa, que em entrevista ao Estado de Minas faz alerta para a necessidade de o estado cortar despesas – o que passa necessariamente pela alteração nas regras para aposentadoria – e aumentar a receita.

Barbosa defende ainda a venda de estatais como a Cemig, medida que é imposta pela Lei Complementar 159/17, que rege o plano de recuperação. “A gente está falando de dezenas de bilhões de reais que entrarão para o estado buscar se equilibrar.

(Fonte: UAI)