Saúde em Foco

A dengue não dá trégua este ano em Minas Gerais e um novo período chuvoso, propício para a reprodução do mosquito Aedes aegypti, começa com a área de saúde ainda lidando com os reflexos da epidemia iniciada em janeiro. Até segunda-feira o balanço da doença bateu em quase meio milhão de casos prováveis. São 484.779 pessoas, entre confirmações e suspeitas, sob a ameaça do vírus que já provocou comprovadamente 153 mortes este ano.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) lança hoje nova campanha para combater focos do mosquito, enquanto continua a contar vítimas do ciclo anterior: ainda há 94 óbitos em investigação no estado, o que pode levar o número a ultrapassar as 208 vidas perdidas em 2016, quando os mineiros enfrentaram a pior epidemia da virose, com 517 mil registros. Com a chegada de mais uma temporada de chuva e calor, infectologistas alertam que o vírus mais agressivo, o sorotipo Denv2, mais comum ao longo do último ciclo, deve manter sua predominância. “A minha expectativa não é muito boa. Temos ainda o vírus tipo 2 e milhares de pessoas suscetíveis a ele, o mais agressivo, com casos mais graves”, afirma o infectologista Carlos Starling, um dos diretores da Sociedade Mineira de Infectologia.

Fonte: UAI