Jornal da Manhã

Aliar economia de gastos públicos à sustentabilidade, mas sem perder de vista a receita tão cobrada pelo Ministério da Educação (MEC) cuja base é a eficiência. Essa equação vai garantir a instituições federais de educação profissional e tecnológica verba de R$ 60 milhões para aquisição e instalação de 852 usinas fotovoltaicas. A expectativa é gerar economia de R$ 17,7 milhões anualmente em contas de energia elétrica. Em Minas Gerais, seis instituições vão receber o recurso e abocanhar R$ 8,6 milhões (14,4% do total).

Serão beneficiados 38 institutos federais, dois centros de educação tecnológica (Cefet) e o Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. No estado, estão contemplados o Cefet, os institutos federal do Sudeste Mineiro, de Minas Gerais, do Norte de Minas Gerais, do Sul de Minas e do Triângulo Mineiro. De acordo com o MEC, cada placa solar, quando em funcionamento, deve gerar, em média, 30,3 megawatts por ano. Isso representa, aproximadamente, redução de R$ 20,8 mil nas contas de luz de cada instituição. O valor pode variar de acordo com a radiação média dos estados brasileiros e da tarifa vigente da concessionária de energia.

Fonte: UAI