Jornal da Manhã

Começam os estudos técnicos sobre os desenhos encontrados no porão de um sobrado de Ouro Preto, na Região Central do estado. Equipe de arqueologia e restauração da superintendência em Minas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) esteve no local e já faz pesquisas para esclarecer questões a respeito das marcas em baixo-relevo encontradas recentemente numa parede revestida de barro, e tudo indica, pelas mãos de um (a) africano (a) ou descendente que viveu no compartimento usado como senzala durante o período da escravidão, regime extinto em 1808, pela Lei Áurea.

“Considero a iniciativa positiva, pois, com avaliação técnica, poderemos saber quando os desenhos foram feitos, origem deles, enfim, uma série de informações importantes para nosso conhecimento e preservação”, disse o empresário Philipe Passos, da família proprietária do imóvel em processo de restauração para abrigar um restaurante.

Fonte: Estado de Minas