Jornal da Manhã

A disputa comercial entre China e Estados Unidos vem causando preocupações em todo o mundo desde o começo de 2018, quando o presidente norte-americano, Donald Trump, fez o primeiro anúncio de tarifas impostas sobre produtos chineses. Desde então, foram feitas algumas tentativas de acordo, mas os rompimentos de tréguas com novos anúncios e ameaças de retaliações frustraram expectativas de solução.

Desde agosto, as tensões pioraram. A disputa passou dos anúncios e ameaças de tarifas sobre produtos importados para o campo cambial. Em reação a uma nova rodada de tarifas dos EUA, a China desvalorizou fortemente sua moeda, o iuan, e foi acusada de manipulação cambial. Cerca de dois meses depois, integrantes dos governos dos dois países se reuniram nos Estados Unidos para retomar as negociações. O resultado foi anunciado por Trump na Casa Branca. Segundo o presidente, os países chegaram ao que seria uma “primeira fase” de um acordo comercial, mas os detalhes desse acerto ainda não foram divulgados e analistas avaliam que “fase um” de acordo pode ser adiada para o próximo ano.

Fonte: G1