Jornal da Manhã

Previsão de tempo instável, obras nas rodovias e estradas com bloqueios são algumas armadilhas que os motoristas terão pela frente em Minas Gerais na saída para o ano-novo. Dados do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG) – que não incluem as rodovias federais que cortam o estado –mostram que 35 trechos de estradas mineiras estão com algum tipo de interdição. A maioria dos problemas surgiu junto com as chuvas, como é o caso de erosões.

E basta olhar pelo retrovisor do período de Natal para perceber que a situação é de alerta. Levantamento do Estado de Minas mostra que ao menos 16 pessoas perderam a vida entre os dias 20 e 25, média de 2,5 mortes por dia.

É bom lembrar também que a fiscalização está reforçada, tanto nas vias estaduais e federais, inclusive com o retorno dos radares móveis. Ontem, quem saiu da capital mineira já enfrentou lentidão. Longas filas se formaram, principalmente, na BR-381, no caminho para o Espírito Santo. A rodovia está sendo duplicada, por isso há vários trechos com estreitamento de pista.

Os problemas nas estradas se espalham por diferentes regiões de Minas Gerais. Na lista, ponte com falhas estruturais, interdições parciais e restrição à circulação de veículos de carga e as erosões, principais avarias registradas nas rodovias. Situação que piora no período chuvoso. Dados do DEER mostram que somente em dezembro, oito trechos registraram ocorrências em diferentes cidades mineiras. Mas há também vias onde avarias que surgiram há três anos ainda não foram resolvidas.

Uma das estradas com problemas é a MGC-120, entre Coimbra e Ervália, na Zona da Mata. O tráfego está em meia pista desde 16 de dezembro. Assim como na LMG-744, entre São José da Safira e Nacip Raydan; AMG-2330, entre LMG-788, em Tarumirim, e Alvarenga; e MG-311, trecho entre Campanário e Pescador. Já na MG-235, entre Serra da Saudade e São Gotardo, e na MG-060, no entrocamento da BR-352 e Pompéu, o tráfego está precário. Por fim, a erosão na pista atrapalha a viagem dos motoristas que passam pela LMG-828, entre o entrocamento com a MG-265 e Piscamba, distrito de Jequeri, e também na MG-329, entre Rio Vermelho e Córrego da Fumaça.

 

Logo na saída de Belo Horizonte os motoristas já podem enfrentar problemas. Principalmente quem segue para o Espírito Santo pela BR-381. A rodovia passa por obras de duplicação, o que deixa vários trechos com afunilamento de pista. “É uma rodovia com muitas curvas, passando por obras, com grande tráfego de veículos e de pista simples. Então, vai exigir dos motoristas um cuidado muito maior e, principalmente, paciência”, alertou o inspetor Aristides Júnior, chefe do Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Minas.

Fonte: Estado de Minas