Manhã

Se o ano letivo em meio à pandemia deixa pais de estudantes preocupados, como o Hoje em Dia mostrou na edição de 23 de abril, as escolas também enfrentam desafios. Para especialistas, a readaptação é essencial para a sociedade em geral – e as instituições de ensino não ficam de fora.

“Essa situação (de pandemia) nos foi posta, foi algo para o qual não estávamos preparados e nos convocou a adaptar-nos a ela.Todo mundo precisa se reinventar. É um fenômeno que não atinge somente escolas, mas ao mundo em geral. Todos estão pensando em como lidar com isso”, frisa Luis Henrique de Souza Cunha, membro do Conselho Regional de Psicologia (CRP-MG).

O especialista reforça a necessidade de se fechar escolas neste momento, conforme recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), por se tratar de um local de muita aglomeração. “O primeiro momento foi de choque, mas, dessa forma, as instituições tiveram que se reinventar, buscar ferramentas para a transmissão do conhecimento. As escolas procuraram entender como usar as ferramentas que já existiam, dos professores foram demandadas aulas virtuais, há instruções dentro das questões pedagógicas e lúdicas”.

Em novas fases, os colégios devem buscar mais estratégias. “Daqui a pouco vão perceber que não sabemos quando o vírus vai acabar e o que será preciso para continuar promovendo a educação”, diz o psicólogo.

Reinvenção

Psicopedagoga especialista em educação inclusiva, Cléa Prado chama a atenção para a situação atual no contexto de reinvenção. “Será que isso também que está acontecendo não seria um bom momento para revermos o processo de aprendizagem?”, questiona.

A profissional, que também é diretora do Colégio Arnaldo – Unidade Anchieta, em Belo Horizonte, relembra que a Base Nacional Comum Curricular foi homologada em dezembro de 2017, com diretrizes para a educação básica, mas ainda não colocada em prática totalmente.

Para ela, o momento seria de refletir sobre o que a base traz de orientações para, de fato, implementá-la nas escolas.

Fonte: Hoje em Dia