Manhã

Drasticamente afetado pela crise do coronavírus, o faturamento das floriculturas da capital mineira deve experimentar algum refresco a partir desta quinta (7), véspera do Dia das Mães, comemorado no domingo (10).  Serão ganhos modestos, conforme previsões da Associação de Distribuidores e Produtores de Flores e Plantas de Minas Gerais (ADPF-MG). A queda nas vendas pode ultrapassar 70% em relação ao mesmo período do ano passado, perda atribuída ao atendimento impessoal imposto pelo decreto municipal de quarentena.

Fechadas, as floras só podem prestar serviços on-line ou via delivery, o que, na avaliação da ADPF-MG, derruba boa parte do “charme” da data comercial, tão ligada a tradições, como a de escolher pessoalmente as flores que mais agradam as matriarcas das famílias. Apesar de reduzido, o movimento esperado para o fim de semana é comemorado pelo setor. “É um primeiro respiro em mais de 40 dias de puro prejuízo”, analisa Flávio Vieira, presidente da ADPF-MG.

Fonte: Estado de Minas