Política

A reeleição de Nicolás Maduro neste domingo (20) gerou insatisfação entre venezuelanos que imigraram para Roraima em razão da crise no país natal. Imigrantes ouvidos pelo G1 relataram falta de perspectiva e desesperança com o cenário político na Venezuela.As eleições venezuelanas foram marcadas por denúncias de fraude, tentativa de boicote da oposição, abstenção de 54% e falta de reconhecimento por grande parte da comunidade internacional – incluindo o Brasil. Com o resultado do pleito, Maduro deve ficar no poder por mais seis anos.Há 20 dias no Brasil, Julio Fuentes, de 29 anos, dorme na rua em Boa Vista e trabalha como sucateiro. Ele saiu de El Tigre, no Sul da Venezuela, e chegou ao país de carona e a pé, porque não tinha dinheiro para… leia mais

Política

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e ministro aposentado do tribunal Joaquim Barbosa anunciou no Twitter que não será candidato à Presidência da República em 2018: “Está decidido. Após várias semanas de muita reflexão, finalmente cheguei a uma conclusão. Não pretendo ser candidato a Presidente da República. Decisão estritamente pessoal”.

Política

A modernização da legislação trabalhista, que entrou em vigor em novembro do ano passado, veio para fortalecer os sindicatos. A afirmação foi feita pelo ministro do Trabalho, Helton Yomura, após o lançamento da campanha Maio Lilás, na sede do Ministério Público do Trabalho, em Brasília, na tarde desta segunda-feira (07). “É um fortalecimento dos sindicatos porque, se a lei dá um protagonismo ao sindicato na primazia do negociado sobre o legislado, vai demonstrar para o sindicalizado que o sindicato tem hoje uma maior operação e mais coisas a fazer, um maior trabalho. Se o sindicato trabalha, o sindicalizado vai se ver representado”, disse.

Política

Com presença em mais de 5.600 municípios e tempo de televisão suficiente para ser competitivo em todos os estados em 2018, o MDB elegeu 2018  como ano da vitória.  Foto Reflexão.

Política

Foto Reflexão | O acontecimento político do dia.

Política

No encontro estadual da sigla, em Jaguariúna (SP) foram anunciadas as pré-candidaturas do presidente da Federação das Indústrias de São Paulo, Paulo Skaf, ao governo de São Paulo e de Marta Suplicy (MDB-SP) à reeleição no Senado. Também foram anunciados nomes de pré-candidatos a deputados federal e estadual. O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB) também esteve no evento. Henrique Meirelles, pré-candidato a Presidência da República estava presente. Esteve presente, também, o presidente Michel Temer e candidatos nas próximas eleições.

Política

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles já está no local do encontro estadual do MDB, em Jaguariúna SP), e está sendo cumprimentado pelos prefeitos e pré-candidatos às casa legislativas. Pré-candidato à Presidência, Meirelles posa para fotos, cumprimenta os presentes e, chegou a dar alguns autógrafo. Também estão presentes no evento o pré-candidato a governador de São Paulo, Paulo Skaf, muito bem cotado nas pesquisas, que chegou na companhia do ex-governador Luiz Antonio Fleury Filho. Meirelles passo a passo vai avançando e consolidando a sua presença como personalidade do MDB.

Política

Atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) está no quinto mandato consecutivo como Deputado Federal. Assumiu a presidência da Câmara no ano passado, depois que o então presidente, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), renunciou ao cargo – e depois foi cassado. Em 2017, Rodrigo Maia presidiu o DEM, partido que ajudou a fundar. É filho de Cesar Maia, ex-prefeito do Rio de Janeiro e casado com Patricia Vasconcelos, enteada de Moreira Franco, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência. A pré-candidatura à Presidência de Rodrigo Maia foi anunciada pelo DEM no dia 8 de março (Fonte.: G1).

Política

A praia é emoldurada por ondas fortes e um costão rochoso, onde está a Gruta das Encantadas. Aqui fica a chamada “praça de alimentação” – barracão com boxes e quiosques de lanchonetes e bares. Acesso a pé a partir da Vila de Nova Brasília (1h50) ou da Vila de Encantadas (10 minutos) (Fonte.: Férias Brasil).

Política

Marina Silva foi deputada estadual no Acre (1991-1994) e senadora pelo mesmo estado por dois mandatos (1995 a 2010). Ela se licenciou do Senado de 2003 a 2008, quando ocupou o cargo de ministra do Meio Ambiente no governo Luiz Inácio Lula da Silva. Filiada ao PT desde 1986, deixou a legenda em 2009 para se filiar ao PV, partido pelo qual concorreu à Presidência em 2010, mas não conseguiu chegar ao segundo turno. Em 2014, se candidatou novamente, desta vez pelo PSB. À época, era vice na chapa encabeçada por Eduardo Campos, mas assumiu a candidatura após a morte dele em um acidente aéreo. Ficou em terceiro lugar. Anunciou pré-candidatura à Presidência em 2 de dezembro de 2017 durante encontro do partido Rede, do qual é fundadora (Fonte.: G1).

Política

A jornalista de 36 anos Manuela D’Ávila iniciou a carreira política no movimento estudantil e foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) em 2003. Em 2004, se elegeu vereadora em Porto Alegre. Dois anos depois, em 2006, foi eleita deputada federal, reeleita em 2010. Desde 2015, é deputada estadual no Rio Grande do Sul. A pré-candidatura à Presidência da República foi anunciada em 5 de novembro de 2017 pelo PCdoB. Ela disputou ainda duas vezes a prefeitura de Porto Alegre, em 2012 e 2018, mas não foi eleita. Será a primeira vez que o partido tem candidatura própria desde 1989. Até então, o PCdoB tinha integrado coligações encabeçada pelo PT e apoiado candidatos petistas como Lula e Dilma Rousseff (Fonte.: G1).

Política

Filho do ex-presidente João Goulart, deposto pelo golpe militar de 1964, o pré-candidato do Partido Pátria Liver (PPL), João Vicente Goulart, fundou um instituto em homenagem ao pai e disputará a Presidência da República pela primeira vez. Ele é autor do livro “Jango e Eu: Memórias de um exílio sem volta”. Segundo a revista “Época”, João Vicente Goulart decidiu deixar o PDT no ano passado devido à insatisfação vom o atual presidente da sigla, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi. Na nota em que anunciou a pré-candidatura, o PPL afirma que o país vive um momento de “miséria, desindustrialização, devastação dos serviços públicos, terrível insegurança pública e o mais lastimável espetáculo de decadência moral” (Fonte.: G1).

Política

O empresário carioca de 55 anos fez carreira como executivo de empresas e, em novembro do ano passado, foi anunciado como pré-candidato a presidente do Partido Novo. João Amoêdo é um dos fundadores da sigla, que presidiu entre setembro de 2015 e julho de 2017, quando se afastou por causa da pré-candidatura. Formado em Engenharia Civil e Administração, teve a maior parte da atuação profissional em instituições financeiras. Foi vice-presidente do Unibanco e membro do conselho de administração do Itaú-BBA. Em 2011, passou a integrar o Conselho de Administração da construtora João Fortes. No mesmo ano, participou da fundação no Partido Novo (Fonte.: G1).

Política

Jair Bolsonaro é militar da reserva e cumpre o sétimo mandato consecutivo como deputado federal. Em 5 de janeiro, saiu do PSC, anunciou filiação ao PSL e pré-candidatura a presidente pelo partido, nona legenda à qual se filiou. É réu em ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposta prática de apologia ao crime de estupro e por injúria. Em 2014, ele afirmou que só não estuprava a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela “não merece”. Em razão do episódio, o STF abriu em 2016 ação penal contra o deputado. A defesa argumentou que ele tem imunidade parlamentar e não incentivou outras pessoas a estuprar (Fonte.: G1).

Política

Coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos foi lançado pré-candidato pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSol) no dia 10 de março. Completa a chapa como candidata à vice-presidente a ativista indígena Sônia Guajajara. Boulos teve sua filiação ao partido formalizada cinco dias antes do anúncio e foi escolhido em conferência disputada com outros três nomes: Plínio de Arruda Sampaio Jr., Hamilton Assis e Nildo Ouriques. Formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), Boulos tem 35 anos e, antes de se tornar líder do MTST, foi militante estudantil na União da Juventude Comunista (Fonte.: G1).