Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

O Distrito Federal abriga 60 mil jovens e adultos que não sabem ler nem escrever. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e mostram que a capital do país ainda está longe de alcançar a meta nacional de redução da taxa de analfabetismo. O objetivo é erradicar a condição até 2024.A dona de casa Raimunda Pereira, de 47 anos, é um dos rostos invisíveis dessa estatística(G1)

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Nossa Gente

Alunos e ex-alunos do Colégio Santo Agostinho, no Leblon, Zona Sul do Rio, fizeram um ato, no início da tarde desta sexta-feira (5), contra a suspensão do uso do livro “Meninos sem pátria”, publicado em 1981 por Luiz Puntel. Segundo os estudantes, responsáveis de alguns alunos do 6º ano do Ensino Fundamental, que adotavam o livro como material didático, alegaram que o exemplar “doutrinava crianças a terem ideologias comunistas”, por contar a história de uma família exilada durante a ditadura(G1).

Nossa Gente